• Equipe Max Consulting

A ÁGUA CONTAMINADA NO CEARÁ E SUGESTÕES PARA REDUZIR O PROBLEMA


Luís Fernando Ribeiro de Mattos

Diretor Técnico da Max Consulting

Engenheiro Agrônomo

Mestre em Biotecnologia Industrial pela UCL – Bélgica

CREA 36599



Segundo dados são de análises realizadas entre 2018 e 2020 pelas empresas de abastecimento de água e reunidos pelo Ministério da Saúde, no SISÁGUA, dos 184 municípios do Ceará, 16 apresentaram água de abastecimento contaminada, ou seja, quando algum parâmetro está acima do máximo permitido por lei.

Fonte: https://mapadaagua.reporterbrasil.org.br/


Contaminantes e Municípios que os apresentaram acima dos limites


1.Trihalometanos


O trihalometano aparece quando o cloro interage com elementos como algas, esgoto ou as crostas de material orgânico que se acumula nas tubulações que levam a água das estações de tratamento para as casas e empresas. Este contaminante é o principal vilão, seguido de outras geradas pelo próprio tratamento. Sã o os "subprodutos da desinfecção". Eles estão acima do limite em 493 cidades do Brasil, 21% das que analisaram. Evidente que é importante tratar a água para remover microrganismos, mas não é aceitável eliminar riscos biológicos e gerar riscos químicos", afirma Heller, da Fiocruz.

O que fazer?


Os trihalometanos, assim como o cloro e os outros halogênios são facilmente removidos da água ao passarmos a mesma por filtros de carvão ativado. Portanto é altamente recomendável que tenhamos esses filtros nas nossas indústrias de alimentos e em nossas casas. Eu, por exemplo, tenho um filtro desses na cozinha da minha casa.

Veja a foto:









Figura 1: Filtro com carvão ativado Figura 2: Filtro com carvão

ativado em indústria


Os trihalometanos são um grupo de compostos químicos e orgânicos que derivam do metano. Ele inclui substâncias como o clorofórmio, classificado como possivelmente cancerígeno pela Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (IARC). A exposição oral prolongada a esta substância pode produzir efeitos no fígado, rins e sangue.



2. Nitrato e Nitrito


Nas áreas rurais, o aumento do nitrato na água ocorre devido ao aumento do uso de pesticidas, fungicidas e herbicidas e esterco nas áreas rurais e urbanas. Hoje, milhões de toneladas de nitrogênio são aplicados anualmente como fertilizantes na agricultura, e alguns outros milhões com a produção de esterco.

Já nas áreas urbanas é muito comum se cavar poços e encontrar água com altos teores de nitrato em bairros antigos, populosos e que por muito anos se utilizou fossas rudimentares não vedadas (não séptica).


O íon nitrato (NO3-) é bioquimicamente reduzido a nitrito (NO2-) por processos de denitrificação em condições anaeróbicas. O íon nitrito é rapidamente oxidado para a forma de nitrato. Portanto reduzindo um se reduz o outro.

O nitrato é classificado como provavelmente cancerígeno para humanos pela Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (IARC), órgão da Organização Mundial da Saúde.

Uma possível solução para a redução do nitrato é o uso do ozônio na água pois o ozônio oxida e reduz a amônia e demais compostos orgânicos que geram o nitrato.




Figura 3: Estação geradora de ozônio para tratamento de água.


3. Agrotóxicos Aldicarbe + Aldicarbesulfona + Aldicarbesulfóxido



Conhecido popularmente como chumbinho, o aldicarbe é classificado como extremamente perigoso pela Organização Mundial de Saúde. O uso do veneno é proibido na União Europeia e foi banido do mercado brasileiro em 2015 após a substância começar a ser utilizada para outros fins, como aborto e homicídio. Ele é avaliado como altamente perigoso pela Pesticide Action Network. Figura 4: Molécula de ozônio


Da mesma forma que para o nitrato, uma possível solução para a redução desses pesticidas é o uso do ozônio na água pois o ozônio oxida e desmonta as moléculas desse compostos impedindo o seu efeito prejudicial à saúde.


O Aldicarb também usado ilegalmente para a produção de raticida. É responsável por milhares de envenenamentos e mortes de pessoas e de animais domésticos e silvestres, além da contaminação do solo, de alimentos, rios e lençóis freáticos

O ozônio reage principalmente com agrotóxicos que contêm grupos redutores, como nitrogênio, enxofre, ligações duplas e anéis aromáticos. O ozônio possui grande afinidade com estruturas moleculares compostas por duplas ligações e é o que não falta no aldicarbe.



As principais categorias de agrotóxicos degradáveis pelo ozônio gasoso são: organofosforados, organoclorados, piretróides e carbamatos (Wang et al., 2019). Figura 5: Molécula de Aldicarbesulfona, com diversas ligações duplas


O Aldicarde é um carbamato.são compostos por um grande número de ligações deste tipo, o que favorece o processo de quebra das moléculas e consequente degradação por ozônio (De Ávila et al., 2017)







121 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
whatsapp_edited.png